Um realismo cosmopolita: O grupo KWY (série da Coleção)

Em 2014, o Museu de Serralves iniciou uma série de livros dedicados à investigação e divulgação da sua colecção. Estas publicações apresentam-se como guias de aproximação a obras singulares ou a tendências conceptuais e temáticas representativas não só do acervo da instituição, mas também da arte contemporânea portuguesa após os anos de 1960. A colecção é definida pelo seu formato de livro de bolso, em que a capa é formada por uma imagem parcialmente oculta por uma banda branca, em rodapé, na qual se inscreve o título – apenas quando se abre o volume, ou se desdobram as badanas deste, é que se torna possível observar a totalidade da imagem e do texto.

O volume “Um realismo cosmopolita: o grupo KWY” foi publicado por ocasião da exposição homónima, com curadoria de Catarina Rosendo, também autora do texto do livro. Surgido em finais dos anos de 1950, o grupo KWY constituiu uma rede internacional de artistas que, sob o pano de fundo das transformações sociais, culturais e económicas da Europa do pós-guerra, procuravam novas formas e uma nova linguagem para a arte. Reunindo os portugueses René Bertholo, Lourdes Castro, António Costa Pinheiro, Gonçalo Duarte, José Escada e João Vieira, o búlgaro Christo e o alemão Jan Voss, este colectivo congregou-se em Paris em torno da edição da revista KWY, publicada entre 1958 e 1964. Reproduções de páginas dos 12 números desta revista, caracterizada por uma grande experimentação plástica, são incluídas no livro.

-169
-168
-170
-178
-172
-173
-174
-177
-167
Ano: 2015
Categoria: Livro

Cliente: Museu de Serralves
Formato: 148 x 210 mm, capa mole
Páginas: 128
Impressão: Offset