Posters Sismógrafo

Tetuzi Akiyama

Cartaz para o concerto do guitarrista Tetuzi Akiyama, no Sismógrafo. A caligrafia, ao estilo oriental, conjuga-se com o círculo solar que flutua, sem posição fixa, pelo cartaz, tal como as 5 cordas inspiradas na guitarra do músico japonês, que podem ser também linhas de uma pauta ou de um caderno caligráfico. A improvisação musical de Akiyama foi assim transposta para o método de impressão do poster, realizado em serigrafia, tornando cada exemplar único.

Kevin van Braak, Demasiadas Sombras
“Demasiadas Sombras” é o cartaz que acompanhou a exposição de Kevin van Braak, no Sismógrafo, cuja instalação principal consistia num teatro de marionetas produzidas na Indonésia. Impresso em serigrafia artesanal, usando diferentes pares de cores em gradiente vertical, o poster tinha a intenção de transportar para a rua aquela manifestação cultural, popular, do extremo oriente. Tal como as marionetas Balinesas, pintadas a cores sobre o couro, mas apenas observadas nos espectáculos enquanto sombras, o cartaz dá cor às linhas dos desenhos realizados por Kroko, um dos colaboradores do artista holandês, contrastando com o assunto sensível da exposição: um episódio ocorrido na II Guerra Mundial.

João César Monteiro, Obra Escrita 1

Cartaz para a apresentação do primeiro volume da “Obra escrita” de João César Monteiro, por Vitor Silva Tavares, no Sismógrafo. A frase nele inscrita é da autoria do cineasta e é composta por letras extraídas do alfabeto antropomorfo criado por Giovanni Battista Bracelli (séc. XVII), que de alguma forma se relacionam com a dimensão erótica e subversiva dos filmes e textos do autor português. O poster foi impresso em serigrafia caseira, sobre papel craft, que tantas vezes o editor da &etc usou para as capas dos livros por si publicados, incluindo os de César Monteiro.

Ano: 2014–19
Categoria: Cartaz

Cliente: Sismógrafo
Formato: 500 x 700 mm
Impressão: Serigrafia, 2 cores